Arquivo da tag: alimento

Como os alimentos podem melhorar a imunidade e prevenir doenças

Nunca se falou tanto em saúde do que desde o início da pandemia da Covid-19. As pessoas estão cada vez mais preocupadas com as respostas que o corpo vem dando. E, com isso, levantando questões de como conseguir prevenir doenças e aumentar a imunidade.

Existem vários estudos disponíveis associando deficiências de vitaminas e o excesso de gordura corporal a uma maior suscetibilidade ao vírus e maior potencial de agravamento e morte. E também se sabe que a melhor prevenção é ter uma boa barreira para impedir a entrada desse vírus e que, se por acaso ele entrar, as consequências serão muito mais leves. Essa barreira é a nossa imunidade! 

Fato é que a alimentação tem grande parcela de culpa ou contribuição quando o assunto é saúde. Se você se alimenta mal, pode sofrer consequências ruins. Se você se alimenta bem, as chances de todos seus exames estarem ok são bem altas.

Mas como manter a saúde em dia e, ainda de quebra, melhorar a sua imunidade? Convidamos a nutricionista Fernanda Marchezini para dar dicas de como fortalecer a sua saúde pela boca. São informações importantes pra ajudar em qualquer época da vida, seja no inverno, no dia a dia ou em meio a uma pandemia.

1. Use a alimentação a seu favor

O que você prefere como lanche da tarde: um pacote de salgadinho ou um omelete? Uma bolacha recheada ou uma fruta? Se você respondeu a primeira opção de cada pergunta, é bom repensar seus hábitos. 

De acordo com a nutricionista, o ideal é que a gente consuma cada vez menos produtos industrializados, “que são fontes de tantos aditivos químicos que não conseguimos nem compreender a lista de ingredientes da embalagem. Esses aditivos causam danos imensos a nossa saúde geral”.

A comida natural – como frutas, verduras, legumes, carnes, arroz, feijão – deve ser a base da nossa alimentação, por isso, essa é a melhor forma de usar a comida a favor da nossa saúde. Isso é o básico para qualquer pessoa em qualquer fase da vida! Claro que cada um deve ser avaliado individualmente, mas somente depois de cumprir com o básico da alimentação.  

2. Reduza os industrializados de vez

Acabamos de te questionar sobre suas opções no dia a dia e como você pode usar a alimentação a seu favor. Mas precisamos continuar falando dos produtos industrializados. Segundo a nutricionista, isso não quer dizer que é pra você parar de comer esse tipo de alimento pro resto da vida. Mas, assim como diz esse subtítulo, REDUZA o consumo.

“Observo que os pacientes que chegam ao consultório com a saúde mais debilitada são aqueles que fazem uma dieta baseada em alimentos industrializados, processados e fritos; e isso, infelizmente, é cada dia mais comum”, revela.

Ela ainda conta que é recorrente o caso de pessoas que não comem nem uma fruta por dia e que, para se hidratar, no lugar de água, tomam suco de caixinha e refrigerante. É importante acrescentar um pouco da alimentação natural em cada refeição, como vegetais no prato cheio de macarrão ou menos fritura no jantar.

3. Saiba identificar que sua saúde está sendo prejudicada pela alimentação

A má alimentação pode contribuir com a queda de imunidade. E vamos combinar que estamos num cenário em que ficar doente é preocupação em dobro, muito maior do que antes da pandemia. 

A nutricionista Fernanda explica que, quando nossa imunidade está baixa, é comum sentir uma piora nos processos alérgicos em geral, como rinite. Também é possível observar a recorrência de infecções urinárias e infestação por fungos, crises de herpes, queda de cabelo, unhas fracas… 

Outros sinais de alerta que nosso corpo dá é o acúmulo de gordura abdominal, intestino preso ou diarreias frequentes, dores constantes e cansaço persistente. Por isso, repensar sua forma de se alimentar diariamente pode trazer grandes ganhos a sua saúde.

4. Dê o primeiro passo para mudar

De acordo com a nutricionista, um bom primeiro passo para você dar atenção a sua saúde é começar pelo básico: 

  • reduza da rotina aqueles alimentos que você já sabe que te fazem mal e que não deveria comer;
  • depois, aumente o consumo daqueles alimentos que você também já sabe que deveria comer e não come (como frutas, saladas, vegetais e água);
  • e, também, coma mais devagar e mastigue muito bem os alimentos.

5. Escolha alimentos para reforçar imunidade

Fernanda esclarece que não existem alimentos que, de uma forma mágica, sejam capazes de atuar isoladamente evitando doenças, mas, dentro de um contexto de uma alimentação que já está equilibrada, alguns alimentos podem fazer a diferença. 

A nutricionista orienta a fazer pratos equilibrados, com arroz, feijão, carnes magras, legumes cozidos e saladas cruas. Alguns alimentos que também podem dar um boost na sua imunidade são o própolis verde, as frutas cítricas, como limão, laranja, abacaxi, e alimentos verdes escuros, como couve, rúcula e espinafre. 

Ela até passou a receita de um super shot pra ajudar na imunidade, mas que não deve ser ingerido por alérgicos a mel, portadores de gastrite e esofagite, crianças e gestantes.

1 limão espremido 

15 gotas de própolis verde

1 col. (café) de cúrcuma 

1 pitada de pimenta do reino

Se precisar, pode colocar um pouquinho de água para ajudar a tomar.

6. Tome água

Parece algo tão batido e natural, mas tem muita gente que pula essa etapa no dia a dia, optando por outras formas de hidratação. Mas a nutricionista lembra que a água é fundamental para o bom funcionamento do nosso corpo e para nossa saúde em geral. 

Segundo ela, todas as infecções são agravadas em processos de desidratação. “Não devemos esperar sentir sede para tomar água. A sensação de sede já é uma manifestação inicial de que o corpo está desidratado”, explica. O problema é que, se você não toma água, pode perder o reflexo de sede com o passar do tempo e, com isso, reduzir cada vez mais o consumo de água. Não deixe chegar a esse ponto!

7. Mude, mas mantenha esse novo ritmo

Esse cuidado deve ser mantido por toda a nossa vida. “A saúde e a imunidade são uma construção diária e eterna”, afirma Fernanda. Ela ainda diz que, ao começar a praticar uma alimentação mais saudável, equilibrada e adequada pra si, é possível notar os efeitos em melhora do intestino, dores, cansaço, fadiga, energia e disposição logo nos primeiros dias. Mas, para a imunidade, precisamos pensar nisso mais a médio prazo, pois não é algo instantâneo. Então, não adie mais!

O importante é buscar um equilíbrio nas suas refeições e no seu dia a dia, pois o extremo, em qualquer situação, não é a melhor opção. Caso você tenha alguma dúvida quanto às orientações repassadas aqui, o ideal é que você busque ajuda de um profissional para elaborar algo de forma individual. Mas, lembre-se, o primeiro passo para dar aquele reforço na sua saúde só depende de você!